Notícia Importante

Amigas e Amigos,

Alguns blogs vem sendo apagados repentinamente pelo Google. Esperamos que isso não aconteça com este blog, pois nossa tarefa aqui é a de oferecer informação e reflexão. Desta forma, como precaução e na perspectiva de continuar a disseminar as vertentes instrumentalizadas em forma de livros, revistas e artigos que existem e promovem o desenvolvimento, recomendamos que insira em seus favoritos nosso endereço paralelo:


Desenvolvimento em questão


Faça os Pedidos e Avisos de Links Quebrados em Comentários no WordPress


Atenciosamente,

Marcos Paulo

terça-feira, 17 de agosto de 2010

A História Entre a Filosofia e a Ciência - José Carlos Reis



A História Entre a Filosofia e a Ciência - José Carlos Reis

O trabalho do professor José Carlos Reis na sua obra, História entre a Filosofia e a Ciência, procura estabelecer um nexo existente entre a história enquanto processo de reflexão da vida humana, daí estar ligada mais à filosofia e a proposição da história ser uma resposta explicativa dentro de uma perspectiva positiva, ou seja, a existência de um nexo causal entre os fatos.
Esse caminhar da história possui uma cronologia bastante significativa, no século XVIII, principalmente nos postulados kantianos, a história ainda não se coloca como parte do conhecimento culto, ainda impregnado pela idéia de reflexão metafísica. No pós-kantiano século XIX, agora capitaneado pelos paradigmas comteanos, melhor dizendo, baseando nas propostas metodológicas feitas pelo filósofo e matemático francês, Auguste Comte, a história ganha o status de ciências. Pode-se dizer que ai nasce a chamada História Ciêntifica. A partir dai que a teoria da história caminha, segundo o autor. Encontraremos desde a proposta historicista de Leopold Ranke, historiador alemão do século XIX, que estabelece à história científica um caráter de objetividade. Essa proposição rankeana é seguida pela história metódica dos franceses Seignobos e Langlois, acrescendo que os mesmo defendiam a escrita da história com uma forma patriótica.
Nesse contexto de se estabelcer um status científico para a história, Dilthey, outro filósofo alemão, contraria a proposição de Ranke e dos franceses Seignobos e Langlois, permitindo e refletindo sobre a subjetividade na escrita da História.
E hoje? Para o autor, principalmente no campo das três gerações dos Annales, a história se enquadra no campo das Ciências Sociais, ou seja, é um espaço que se preocupa com a trajetória humana no tempo e no espaço.

Download do livro: Clique aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua crítica, pedido ou sugestão. Obrigado.