Notícia Importante

Amigas e Amigos,

Alguns blogs vem sendo apagados repentinamente pelo Google. Esperamos que isso não aconteça com este blog, pois nossa tarefa aqui é a de oferecer informação e reflexão. Desta forma, como precaução e na perspectiva de continuar a disseminar as vertentes instrumentalizadas em forma de livros, revistas e artigos que existem e promovem o desenvolvimento, recomendamos que insira em seus favoritos nosso endereço paralelo:


Desenvolvimento em questão


Faça os Pedidos e Avisos de Links Quebrados em Comentários no WordPress


Atenciosamente,

Marcos Paulo

quinta-feira, 30 de junho de 2011

As Estruturas Narrativas - Tzvetan Todorov



As Estruturas Narrativas - Tzvetan Todorov

Um livro de grande utilidade para os nossos estudiosos de literatura, pois, além de divulgar de modo claro e irrepreensível as idéias dos formalistas russos e do estruturalismo lingüístico, dá ao leitor armas para descobrir as estruturas que existem subjacentes a toda narrativa e estabelecer um repertório de intrigas, de funções e de visões. Estes são alguns dos objetivos deste livro, que leva adiante as reflexões dos formalistas e as atualiza à luz da lingüística contemporânea.

Download do livro: Clique aqui!

Educação Como Prática de Liberdade - Paulo Freire



Educação Como Prática de Liberdade - Paulo Freire

Ao abordar a questão: como vejo a educação como prática de liberdade, deve se primeiro pensar o ser humano em sua relação com o mundo, seus condicionamentos e desafios, implica a consciência de sua história e de como superar a desumanização. Neste caso, nos remete logo a figura do educador Paulo Freire. A percepção de Freire, sobre sua época, sua capacidade de apreender seu momento histórico de propor caminhos para uma pedagogia da libertação popular o fez um dos maiores intelectuais de nossa história.

A educação libertadora para Freire é fundamental na prática revolucionária, pois não se pode primeiro fazer a revolução para depois pensar a educação que queremos. A necessidade de uma pedagogia da libertação popular, afirma-se em nossos cotidianos porque em nossos corpos, mentes e em toda a prática social está a pedagogia do opressor. Esta pedagogia legitima sua prática domesticadora, negando o direto de ser mais do povo (FREIRE, 1991).

Download do livro: Clique aqui!