Notícia Importante

Amigas e Amigos,

Alguns blogs vem sendo apagados repentinamente pelo Google. Esperamos que isso não aconteça com este blog, pois nossa tarefa aqui é a de oferecer informação e reflexão. Desta forma, como precaução e na perspectiva de continuar a disseminar as vertentes instrumentalizadas em forma de livros, revistas e artigos que existem e promovem o desenvolvimento, recomendamos que insira em seus favoritos nosso endereço paralelo:


Desenvolvimento em questão


Faça os Pedidos e Avisos de Links Quebrados em Comentários no WordPress


Atenciosamente,

Marcos Paulo

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Mouros, Franceses e Judeus – três presenças no Brasil - Luís Câmara Cascudo


Mouros, Franceses e Judeus – três presenças no Brasil - Luís Câmara Cascudo

Em Mouros, Franceses e Judeus, Luís da Câmara Cascudo estuda a presença destes três povos na cultura popular brasileira. Presenças persistentes através de crendices, histórias, gestos, hábitos alimentares, cujas origens se perdem na escura noite dos tempos, alguns chegados aqui quando o Brasil apenas despertava para a vida. Constantes culturais de dois, três mil anos, velhas de quinhentos anos no país e que continuam, límpidas e frescas, na vida cotidiana do povo brasileiro.
Depois de séculos de presença na Península Ibérica, deixando marcas indeléveis na vida portuguesa, o mouro viajou para o Brasil na memória do colonizador, como observa Cascudo. Ninguém fala português sem empregar centenas de palavras de origem árabe: açúcar, arroz, azeitona. As mães d'água, de canto irresistível, são parentes das mouras encantadas. A presença árabe está em toda parte, na arquitetura, na doçaria, no pé do nordestino. A alparcata, tão popular no Nordeste, muitas vezes milenar, foi introduzida em Portugal pelo berbere.

Download do livro: Clique aqui!

Os Princípios Ontológicos Fundamentais de Marx - György Lukács


Os Princípios Ontológicos Fundamentais de Marx - György Lukács

Desde o período histórico em que vivemos - marcado por um intenso caráter contra-revolucionário - até a tentativa de desqualificação da obra por parte de ex-discípulos de Lukács, que divulgaram sobre ela a acusação de que tratava-se de uma metafísica estalinista, antes mesmo de a obra ser publicada. Enfim, esta obra de Lukács está ainda por ser sistematicamente descoberta, embora já haja no Brasil um importante movimento de debate em torno desta temática.

Download do livro: Clique aqui!