Notícia Importante

Amigas e Amigos,

Alguns blogs vem sendo apagados repentinamente pelo Google. Esperamos que isso não aconteça com este blog, pois nossa tarefa aqui é a de oferecer informação e reflexão. Desta forma, como precaução e na perspectiva de continuar a disseminar as vertentes instrumentalizadas em forma de livros, revistas e artigos que existem e promovem o desenvolvimento, recomendamos que insira em seus favoritos nosso endereço paralelo:


Desenvolvimento em questão


Faça os Pedidos e Avisos de Links Quebrados em Comentários no WordPress


Atenciosamente,

Marcos Paulo

domingo, 22 de maio de 2011

Colapso – Como as Sociedades Escolhem o Fracasso ou o Sucesso – Jared Diamond



Colapso – Como as Sociedades Escolhem o Fracasso ou o Sucesso – Jared Diamond

O que é mais assustador do que o espectro do colapso de uma civilização – os restos dos templos abandonados de Angkor Watno território do Cambojadas cidades maias tomadas pela selva ou a vigília sombria das estátuas da ilha de Páscoa?
As imagens dessas ruínas sugerem a pergunta: Será que isso também não pode acontecer conosco?
Abordando desde a cultura da Polinésia pré-histórica na ilha de Páscoa às outrora florescentes civilizações nativas americanas dos anasazis e maias, analisa as causas da decadência da colônia viking medieval na Groenlândia e chega ao mundo moderno. Com isso traça um panorama catastrófico e mostra o que acontece quando desperdiçamos nossos recursos ignoramos os sinais de nosso meio ambientequando nos reproduzimos rápido demais ou cortamos árvores em excesso. Danos ambientais, mudanças climáticas, rápido crescimento populacional, parcerias comerciais instáveis e pressões de inimigos foram fatores na queda de algumas sociedades, contudo outras encontraram soluções para esses mesmos problemas e subsistiram.

Download do livro: Clique aqui!

Como Vejo o Mundo – Albert Einstein



Como Vejo o Mundo – Albert Einstein

Einstein trata dos problemas fundamentais do ser humano – nos campos social, político, econômico e cultural – e torna clara sua posição diante deles: a de um sábio radicalmente consciente de que, sem a liberdade de ser e agir, o homem, por mais que conheça e possua, não é nada. Ele sonhava com um mundo mais acessível a todos e não acreditava na liberdade, acreditava que estavam condicionados a pressões externas ou a crenças internas. O sentido da vida é viver, como julgar o homem, através do grau que ele se libertou do EU. Riquezas, o dinheiro só tem valor se for usado para o bem da humanidade e quem tem este dom são pessoas excepcionais com idéias generosas, fora disto o dinheiro polui tudo e degrada a pessoa humana, educação em um pensamento livre, devemos ensinar os homens não só uma especialidade, pois estaríamos transformando-o em um cão ensinado, devemos ensinar o senso prático do que vale a pena, daquilo que é belo e moralmente correto. A paz deve ser preconizada entre as nações, mas isto não acontece devido os avanços tecnológicos, paz agora significa sobrevivência, Einsten dizia que o homem jamais barraria a ciência, pois, esta sempre encontra caminho, idéias e descobertas se impõem para um progresso harmonioso, até que interesses políticos interfiram nesta harmonia, esta ação causa um desastre.
Ele acreditava que a descoberta da bomba atômica não era mais importante que a descoberta do fósforo, o perigo estava em acionar, por isso acreditava nas pessoas no sentido de barrar esta ação a qualquer custo, Einsten condenava a Alemanha, por não ter liberdade política, tolerância e igualdade, isto o levou a mudar de país e então foi para América.

Download do livro: Clique aqui!