Notícia Importante

Amigas e Amigos,

Alguns blogs vem sendo apagados repentinamente pelo Google. Esperamos que isso não aconteça com este blog, pois nossa tarefa aqui é a de oferecer informação e reflexão. Desta forma, como precaução e na perspectiva de continuar a disseminar as vertentes instrumentalizadas em forma de livros, revistas e artigos que existem e promovem o desenvolvimento, recomendamos que insira em seus favoritos nosso endereço paralelo:


Desenvolvimento em questão


Faça os Pedidos e Avisos de Links Quebrados em Comentários no WordPress


Atenciosamente,

Marcos Paulo

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

O Germinal - Émile Zola



O Germinal - Émile Zola

A narrativa se passa no norte da França, no século XIX, enquanto uma greve de mineiros, provocada pela redução de salários, explode. Descreve também as organizações políticas sindicais francesa desse período e a divisão já existente entre marxistas e anarquistas.

O autor passou dois meses trabalhando como mineiro, sentindo na carne o trabalho insano, de baixo salário, a moradia promíscua, a fome, a rotina sacrificada e acompanhando de perto a greve dos operários para compor o romance.
Escrito em 1881, mostra a vida da família Maheu e do forasteiro Etienne - trabalhadores de carvão - na década de 1860.

A greve organizada é considerada um exagero, já que as greves francesas do período retratado eram raramente voltadas para a violência total, por causa disso, Zola é acusado de estereotipar os operários conforme a visão da elite.
O tema da luta entre opressores e oprimidos aparece inclusive nas tramas menores, como no "casamento", ou nas crianças salteadoras. Outro destaque no livro é que um dos personagens é russo, e acha que apenas pelo sangue e pela destruição surgirá uma nova sociedade.

Sobre o autor

Émile Zola é considerado o criador da escola literária naturalista. Iniciou no ramo jornalístico escrevendo colunas para os jornais Cartier de Villemessant´s e Controversial, não poupava críticas a Napoleão. Achava que a perfeição seria alcançada somente quando a "última pedra da última igreja caísse sobre o último padre".

Um dos seus primeiros trabalhos publicados foi a autobiografia “La Confession de Claude” (1865), criticada negativamente pelos "especialistas".
Demonstrou também engajamento político, principalmente na carta aberta "J´cccuse" (Acuso), destinada ao então presidente da França Feliz Faure, que o acusava de anti-semitismo e que motivou seu assassinato em 1902.

Download do livro: http://www.4shared.com/file/169714385/859bb686/O_Germinal__mile_Zola_-_BPI.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua crítica, pedido ou sugestão. Obrigado.