Notícia Importante

Amigas e Amigos,

Alguns blogs vem sendo apagados repentinamente pelo Google. Esperamos que isso não aconteça com este blog, pois nossa tarefa aqui é a de oferecer informação e reflexão. Desta forma, como precaução e na perspectiva de continuar a disseminar as vertentes instrumentalizadas em forma de livros, revistas e artigos que existem e promovem o desenvolvimento, recomendamos que insira em seus favoritos nosso endereço paralelo:


Desenvolvimento em questão


Faça os Pedidos e Avisos de Links Quebrados em Comentários no WordPress


Atenciosamente,

Marcos Paulo

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Tudo O Que É Sólido Desmancha No Ar - Marshall Berman



Tudo O Que É Sólido Desmancha No Ar - Marshall Berman

Marshall Berman é um filósofo marxista e escritor norte americano de origem judaica.
Escreveu uma série de livros importantes como a Sociologia da Cultura, A Política da Autenticidade, e Aventuras do Marxismo porém foi com Tudo Que É Sólido Se Desmancha No Ar, considerado um dos livros mais influentes do século XX, que alcançou reconhecimento internacional. Inspirado nas teses de Karl Marx, foi criando desde essa base suas idéias sobre modernismo e modernidada de onde se entende a cultura contemporânea como um mito permanentemente recriado.

A afirmação de que "Tudo que é sólido desmancha no ar" foi retirada pelo ensaísta Marshall Berman de um trecho do Manifesto Comunista, de Marx e Engels, e transformada por ele na frase-símbolo da Modernidade. Ela significa que nada é perene, que as mais sólidas estruturas estão condenadas a desaparecer, substituídas pelo novo, na imorredoura marcha do progresso. Está aí a concepção que vai orientar o autor durante todo o seu longo ensaio. A obra é uma defesa da renovação, da destruição criativa, valores que são empacotados por Berman com o nome de "Modernidade". O autor faz um ataque feroz ao pensamento dito "pós-moderno", aquele que prega que não há mais para onde prosseguir. Para justificar sua defesa, ele interpreta algumas obras literárias e alguns autores por ele considerados peças-chave na formação da cultura moderna: o "Fausto", de Goethe; o "Manifesto comunista", de Marx e Engels; as obras de Baudelaire e Dostoievski. Numa prosa solta, Berman dá livre curso às idéias, relacionando os mais diversos campos do conhecimento sem titubear: vai da história à literatura, da Rússia ao Bronx, de Goethe a Marx. A mistura de temas e abordagens vai ao encontro da onda da recente "crítica cultural", que consiste em descobrir significados ocultos em praticamente qualquer coisa. Essa liberdade que faz a força da obra é também sua fraqueza. Berman apela freqüentemente para conexões físico-místicas: correntes energéticas, ondas telúricas, luzes espirituais. Isso faz de "Tudo que é sólido desmancha no ar" um trabalho rico em significados e descobertas, mas de pouca solidez, quase a ponto de desmanchar. Talvez este tenha sido mesmo o propósito de Berman.

Download do livro: http://www.4shared.com/file/153819362/acbf3c0e/Marshall_Berman_-_Tudo_O_Que__Slido_Desmancha_No_Ar__doc___rev_.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua crítica, pedido ou sugestão. Obrigado.