Notícia Importante

Amigas e Amigos,

Alguns blogs vem sendo apagados repentinamente pelo Google. Esperamos que isso não aconteça com este blog, pois nossa tarefa aqui é a de oferecer informação e reflexão. Desta forma, como precaução e na perspectiva de continuar a disseminar as vertentes instrumentalizadas em forma de livros, revistas e artigos que existem e promovem o desenvolvimento, recomendamos que insira em seus favoritos nosso endereço paralelo:


Desenvolvimento em questão


Faça os Pedidos e Avisos de Links Quebrados em Comentários no WordPress


Atenciosamente,

Marcos Paulo

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Interpretação e Ideologias - Paul Ricoeur



Interpretação e Ideologias - Paul Ricoeur

Paul Ricoeur nasceu em Valence em 27 de Fevereiro 1913 e faleceu em Chatenay Malabry, perto de Paris, em 20 de Maio de 2005. Foi um dos grandes filósofos e pensadores franceses do período que se seguiu à Segunda Guerra Mundial.

Foi, no pós-guerra, académico na Universidade da Sorbonne. Passou também pelas universidades de Louvaina (Bélgica) e Yale (EUA), onde fez uma importante obra de filosofia política. Ricoeur participou em debates sobre a linguística, a psicanálise, o estruturalismo e a hermenêutica, com um interesse particular pelos textos sagrados do cristianismo.

Em suas obras, percebe-se claramente a intenção de relacionar a fenomenologia com a análise lingüística, por meio da teoria da metáfora, do mito e dos modelos científicos. O filósofo também direcionou seus estudos para compreender a forma pela qual a realidade do ser é configurada de acordo com a percepção individual de eventos mundiais. Uma de suas grandes contribuições filosóficas é a conceituação de ação enquanto legado humano. A partir de 1989, Ricoeur procura centrar sua reflexão sobre o sujeito, a alteridade e questões ideológicas.
Sobre a obra Interpretação e Ideologias é pertinente ressaltar que esta surgiu por conta de um encontro entre o filósofo francês e o escritor brasileiro Hilton Japiassu, ocorrido em 1976. Este último, na apresentação do referido livro de Ricoeur, comenta que o fez compreender a importância de organizar certos artigos publicados, de maneira esparsa, sobre hermenêutica e ideologia, para destiná-los ao público universitário. Segundo Japiassu, foi ele mesmo quem fez a seleção dos artigos que fariam parte do corpus do livro e posteriormente os apresentou ao filósofo, que aprovou os textos escolhidos.
Hilton Japiassu afirma que a organização dos artigos ocorreu com base numa unidade de inspiração, por conta de que todos fazem referência a uma problemática essencial: a conversão do método hermenêutico, em uma tentativa de salvar o indivíduo do cientificismo. O livro foi dividido em quatro partes, que abordam respectivamente:
• 1ª parte – “A tarefa da hermenêutica” (descreve o problema da hermenêutica na atualidade) e “A função da hermenêutica do distanciamento” (dedica-se à elaboração de categorias textuais para tentar explicar e compreender a problemática em questão).
• 2ª parte – “Ciência e ideologia” (estuda as funções da ideologia para permitir a compreensão do fenômeno ideológico e faz uma análise, apresentando vínculos e contradições, sobre as ciências e a ideologia).
• 3ª parte – “Crítica das ideologias” (procura elaborar uma reflexão de teor crítico sobre a hermenêutica e as ideologias cientificistas presentes nas ciências humanas).
• 4ª parte – “Sinal de contradição e de unidade?” (estuda os conflitos e neoconflitos presentes na atualidade, mascarados por ideologias, e propõe uma estratégia que sirva para a compreensão de tais eventos).

Download do livro: Clique aqui!

2 comentários:

  1. O link que postou não está mais disponível. O livro encontra-se em http://www.4shared.com/document/pcb3jFGT/Interpretao_e_Ideologias_-_Pau.html

    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Ele está no multiupload. Dê uma olhada.
    Um abraço,
    MP

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua crítica, pedido ou sugestão. Obrigado.