Notícia Importante

Amigas e Amigos,

Alguns blogs vem sendo apagados repentinamente pelo Google. Esperamos que isso não aconteça com este blog, pois nossa tarefa aqui é a de oferecer informação e reflexão. Desta forma, como precaução e na perspectiva de continuar a disseminar as vertentes instrumentalizadas em forma de livros, revistas e artigos que existem e promovem o desenvolvimento, recomendamos que insira em seus favoritos nosso endereço paralelo:


Desenvolvimento em questão


Faça os Pedidos e Avisos de Links Quebrados em Comentários no WordPress


Atenciosamente,

Marcos Paulo

terça-feira, 9 de março de 2010

Equador - Integração Econômica e Inserção Regional no governo Rafael Correa - Estudos e Cenários (out. 2008) - Daniela Campello



Equador - Integração Econômica e Inserção Regional no governo Rafael Correa - Estudos e Cenários (out. 2008) - Daniela Campello

O Equador situa-se entre os países mais pobres e menos desenvolvidos da América Latina, à frente apenas da Colômbia, Bolívia e do Paraguai. Sua atividade econômica concentra-se na produção agrícola (bananas, café, cacau, entre outros) e petroleira, esta responsável por 55% das exportações, 20% do PIB e 30% das receitas do governo central equatoriano. O setor petroleiro é também o maior destino do investimento direto estrangeiro no país, recebendo em torno de 80% do capital investido. Empresas como Repsol, Petrobrás, Perenco e Andes Petroleum respondem por aproximadamente 50% da produção de petróleo do Equador, e o restante fica a cargo da estatal Petroecuador.
Do ponto de vista político, o Equador distingue-se por sua extrema instabilidade, evidenciada pelo fato de que, desde 1992, nenhum presidente eleito no país conseguiu cumprir seu mandato até o final. O sistema partidário equatoriano encontra-se entre os menos institucionalizados da América Latina; é volátil e fragmentado, um sistema onde regras mudam constantemente e a capacidade de representação de interesses é consideravelmente baixa, mesmo em comparação aos já baixos padrões regionais.

Download do estudo: Clique aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua crítica, pedido ou sugestão. Obrigado.