Notícia Importante

Amigas e Amigos,

Alguns blogs vem sendo apagados repentinamente pelo Google. Esperamos que isso não aconteça com este blog, pois nossa tarefa aqui é a de oferecer informação e reflexão. Desta forma, como precaução e na perspectiva de continuar a disseminar as vertentes instrumentalizadas em forma de livros, revistas e artigos que existem e promovem o desenvolvimento, recomendamos que insira em seus favoritos nosso endereço paralelo:


Desenvolvimento em questão


Faça os Pedidos e Avisos de Links Quebrados em Comentários no WordPress


Atenciosamente,

Marcos Paulo

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

As Palavras e as Coisas - Michel Foucault



As Palavras e as Coisas - Michel Foucault

Nessa obra, Foucault explica como e por que a filosofia e as ciências, entre os séculos XV e XIX, conceberam a realidade de maneiras muito diferentes.

Através da análise estrutural das "camadas" de saberes acumuladas em três épocas diferentes da história da humanidade, a Renascença (séc. XVI), a idade Clássica (séc. XVII e XVIII) e a Modernidade (séc. XIX e XX), Foucault desvenda a constituição dos saberes nestas diferentes épocas, indicando não uma continuidade linear nas descobertas e avanços, mas antes uma descontinuidade e uma ruptura, um corte epistemológico, de uma época para outra. Estes cortes marcam a constituição de novas ciências, com novos objetos e novos métodos de investigação, distintos dos saberes das épocas anteriores.

O livro "As palavras e as coisas", do pensador francês Michel Foucault, traça um quadro detalhado da mudança de ordenamento que ocorre no discurso ocidental no período que se estende do Renascimento até o final do século XVIII/início do século XIX (período que o pensador pontua como o tempo de efetivação da ideologia chamada de modernista).

Foucault atravessa a História, na tentativa de cercar os elementos de significância que ilustram, a partir de seu entrecruzamento, os jogos de sentido que auxiliaram na reprodução da 'epistême' moderna. A construção dos sistemas de articulação científica, sua maneira de ser e todo o enredo discursivo que contribuiu para a disseminação das representações das representações são objeto do trabalho arqueológico do pensador, que surpreende os mais ingênuos com a infância semântica do homem, objeto recente na história do saber.

A diferenciação que se cria entre as chamadas "ciências humanas" e aquelas que recebem o rótulo purificado de "ciências exatas" é também analisada nesta obra, que se destaca por enxergar no aparecimento e no desenrolar do humanismo um elemento gerador de crise para o próprio discurso científico como um todo, e mesmo para toda a epistême moderna em todo o seu enquadramento.

O texto deixa uma importante conclusão, em termos do processo histórico: para o homem, como sentido e como objeto de estudo, o período que se estende para trás do século XVII é apenas e tão somente uma pré-história, reticências prévias.

Download do livro:

http://www.easy-share.com/1904307100/FOUCAULT,%20Michel.%20As%20palavras%20e%20as%20coisas.rar ou

http://www.4shared.com/file/204411143/ecb65ecf/FOUCAULT_Michel_As_palavras_e_.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua crítica, pedido ou sugestão. Obrigado.